A cesta básica é um item importante na mesa do brasileiro. Com produtos que temos no dia a dia como arroz e feijão, os alimentos são ótimos para ter em casa ou poder ajudar famílias mais necessitadas.

Com o aumento dos preços em quase todas as capitais do Brasil, os alimentos da cesta básica precisam ser escolhidos com cautela e saber pesquisar nos melhores locais para evitar pagar mais caro. Além disso, com os valores mais altos, as famílias carentes precisam de mais apoio de ONG’s e da sociedade.

Quais são os alimentos essenciais e adicionais na cesta básica

Montar a cesta básica não envolve ter uma série de alimentos e entender que está pronto. Existem os alimentos essenciais que ajudam a suprir as necessidades básicas das famílias no Brasil, cada região pode ter pequenas alterações, mas nessa lista será passadas as principais:

  • arroz;
  • feijão;
  • óleo;
  • sal;
  • açúcar;
  • café;
  • molho de tomate;
  • macarrão espaguete ou parafuso;
  • sardinha ou atum;
  • salsicha ou charque;
  • milho e ervilha ou seleta de legumes;
  • farinha de trigo ou mandioca;
  • biscoito doce ou salgado;
  • pão de forma;
  • manteiga;
  • banana;
  • leite em pó.

Com todos os alimentos essenciais, vamos ver quais são as comidas que podem deixar sua cesta mais atrativa e poderá dar um ar especial a sua cesta básica. Dessa forma, poderá presentear quem vai entregar a cesta básica:

  • temperos;
  • achocolatados;
  • doces;
  • leite condensado;
  • mel;
  • iogurte;
  • Frutas, verduras e legumes;
  • extrato ou molho de tomate;
  • fermento em pó;
  • farinha de tapioca;
  • aveia;
  • massa pronta de bolos;
  • dúzia de ovos.

Faça um orçamento

Carteira vazia

Com os altos preços ultimamente, se tornou necessário gastar dinheiro com o essencial e deixar alguns alimentos de fora.

Como passado no início do texto, a cesta básica ficou mais cara nesse último ano e para 2022 a expectativa deve ser a mesma, então saber economizar e fazer uma boa pesquisa pode ajudar a gastar o menos possível com os alimentos que já estão caros.

Todos os estados tiveram alta, mas São Paulo mantem com a cesta básica mais cara, com o valor de R$713,86. Depois, vem diversas outras capitais, como: Florianópolis (R$ 695,95), Rio de Janeiro (R$ 693,83), Vitória (R$ 677,54) e Porto Alegre (R$ 673), além de outras capitais do Brasil.

Apesar da diminuição da inflação em pesquisa feita pelo Dieese, o valor do salário-mínimo deveria ser de R$ 5997,14, quase quatro vezes mais que o valor atual estipulado pelo governo federal.

Por isso, ao procurar os alimentos da cesta básica, procure em vários mercados, lojas e até empresas que vendem diretamente a cesta pronta, assim poderá economizar e usar o dinheiro restante para outras obrigações.

Procure ajudar quem precisa

Família carente

Não são todos que podem escolher os alimentos que quer colocar na mesa, por isso ajudar quem precisa faz a diferença. (Foto: Lulu/Surubimnews).

Com os preços mais elevados ajudar quem precisa se tornou uma grande ação social. Com os valores bem acima do normal não são todos os brasileiros que conseguem ter a facilidade de escolher qual alimento pode comprar e se consegue comprar todos os itens da cesta básica, além do alto custo da água.

Por isso, caso consiga e possa comprar itens ou uma cesta básica completa, pode-se ajudar o mês de uma família mais necessitada. Existem diversas ONG’s que ajudam as pessoas mais carentes e você pode fazer sua parte ajudando financeiramente as organizações ou podendo comprar mesmo os itens e entregando a quem precisa.

Dessa forma, você ajudará pessoas que estão precisando de ajuda e fará uma boa ação para que todos possam ter seu alimento em casa.

Mas na hora de comprar verifique dados básicos, como a qualidade do alimento, se está no prazo de validade, se está bem higienizado e com isso poderá entregar a uma ONG ou a uma família que precisa.