Guia Prático

20 Dicas Para Estudar Melhor e Mais Rápido

estudar

Guia prático para estudar com qualidade e sem estresse!

Como aprender, memorizar e estudar melhor pode trazer resultados mais rápido que você pensa. Muita gente acha que estudar é apenas sentar-se cercado de livros em silêncio absoluto e tentando decorar tudo que vem pela frente. Esse é o maior erro dos iniciantes, principalmente dos concurseiros.

Em provas muito dissertativas ou com muito conteúdo, não sabemos nem por onde começar. Ficamos estressados e ansiosos e começamos a sofrer por antecipação. Mas calma! Não entre em pânico. Neste artigo, vamos dar todas as dicas de como estudar sozinho.

1. Evite ficar em completo silêncio

estudar em silêncio

Essa primeira dica pode ser complicada para alguns. A ideia não é ir para o lugar mais barulhento da casa ou da biblioteca. Porém, o total silêncio é tão dispersante quanto o barulho constante.

Tente achar um meio termo, como um café em que há outras pessoas estudando. Ou ligue a televisão na sala bem baixinho enquanto estuda no quarto. Pode, se conseguir, optar por ouvir música clássica ou apenas instrumental. Diversas pesquisas mostram que isso aumenta nosso potencial de concentração, melhorando nosso desempenho imediatamente.

Uma boa ideia é optar por playlists já disponíveis em sites de música, como o Spotify. Lá, você encontra listas de músicas para diferentes tipos de estudo.

2. Faça do estudo um hábito

É como tentar emagrecer, você precisa mudar sua rotina e criar aquele hábito de frequentar a academia diariamente. Para aprender uma nova língua (como inglês) ou passar em um concurso é a mesma técnica. Antes de iniciar, tente organizar os seus horários, de forma a fazer sobra uma ou duas horas por dia para os seus estudos.

Isso facilitará o seu processo e agilizará as coisas, ainda mais se você é um procrastinador. É interessante fazer como se faz com as crianças, escreva seus horários em uma folha A3 e cole em um local que você passa diversas vezes por dia, como na geladeira ou na porta do banheiro.

Assim, fica sem desculpas para a falta de tempo.

3. Faça pausas ao estudar

faça pausas ao estudar

Há diversas formas de estudar e memorizar algo. Uma das mais efetivas é a fragmentada, ou seja, aquela em que não passa horas fazendo exatamente a mesma coisa. Estudar é uma atividade como qualquer outra, por isso é preciso que se faça pausas.

Para não perder muito tempo e não se dispersar, opte por colocar as pausas de 10 ou 15 minutos no seu calendário. Ah, e durante a sua pausa, caminhe, vá ao banheiro, beba água, mas evite, a todo o custo, entrar nas redes sociais. É aquela velha história, você só vai ver uma foto ou curtir um post e quando vê já se passaram horas.

Os especialistas explicam que é preferível estudar menos, entretanto com mais frequência.

4. Crie recompensas para si mesmo

Desligar o celular e deixar de estar com os amigos para passar em uma prova pode ser frustrante. Por isso, é uma boa ideia que você valorize o seu próprio trabalho. Estudar não precisa e nem deve ser algo maçante e sofrido. Crie pequenas metas e recompensas para si mesmo.

Por exemplo, proponha-se ler 10 páginas de um texto em 20 minutos, valendo meia hora de descanso ou uma barrinha de chocolate. Parece mentira, mas somos competitivos por natureza.

5. Mantenha-se ativo e procure comer direito

coma direito

Estudar requer concentração. Ninguém consegue se concentrar se fica o tempo todo com fome pensando na próxima refeição. Muito menos se fica dividindo a atenção dos textos com aquele salgadinho barulhento.

Comer bem também melhora o potencial do seu cérebro. Cientistas comprovam que quem se alimenta de forma saudável é mais inteligente. Há muitos alimentos, aliás, que nos dão mais energia e, por isso, nos faz ficar mais atento.

Fazer exercícios físicos também é importante. Cansar o corpo significa ter uma boa noite de sono. Quem não dorme direito, não estuda direito.

6. Encontre seu horário ideal

Falando em dormir, há muita gente que odeia estudar durante o dia. São os chamados notívagos. Essas pessoas preferem ler e fazer os trabalhos da faculdade, por exemplo, sempre à noite.

Nem todo mundo é igual. Por isso, ache o seu horário ideal. Se é notívago, precisará inverter sua rotina, para que consiga estudar, dormir e fazer exercícios como deve ser.

Se você é uma pessoa diurna, não perca tempo enrolando para levantar de manhã. Muito menos vá dormir muito tarde em dias de provas. Não force seu cérebro a trabalhar nas horas que ele não consegue. Isso só lhe deixará mais cansado.

E jamais estude na cama ou antes de dormir. É um péssimo hábito e inclusive faz mal à saúde.

7. Esqueça o marcador na hora de estudar

Sabe aquela mania que as pessoas têm de sublinhar tudo? Isso é muito pouco efetivo. Vale muito mais a pena investir em visualização ou associações com imagens. Alguns psicólogos descobriram que é melhor fazer anotações e desenhos em vez de sublinhar.

Aliás, é ainda melhor que fazer resumos. Para quem vai prestar provas por escrito, os resumos podem até ser vantajosos. No entanto, para as provas objetivas, como o vestibular e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), a utilidade será mínima.

Em vez de marcar tudo ou resumir, opte pelos mapas e pelos exercícios. Não é à toa a afirmação popular: “a prática leva a perfeição.”

8. Releitura

releitura

Como decorar textos longos? Simples, aposte na releitura. Apesar de o fato de apenas reler um conteúdo ser visto como pouco efetivo, médicos afirmam que a releitura massiva – ler por seguidas vezes – é mais útil do que resumos e grifos, praticados no mesmo intervalo de tempo.

No entanto, não adianta apenas reler se quer mesmo aprender alguma coisa. Mas isso não significa que você não possa ler e reler trechos para facilitar a compreensão de um assunto. Quando há um interesse muito forte por um determinado tema, os estudantes releem sem notar.

9. Pegue leve no café e nas bebidas energéticas

beba menos café

Como dissemos acima, não adianta forçar seu cérebro nos horários que ele não trabalha. Mas como estudar melhor para provas de um dia par o outro? Não vai ser uma xícara de café e uma lata de energético que farão com que você incorpore o que precisa saber.

Pelo contrário, as bebidas com alto teor de cafeína nos deixam mais alertas e também mais ansiosos e estressados. Estudar é um processo que requer calma, concentração e meditação. Para decorar o que precisamos saber, é preciso apostar em técnicas que nos tranquilizem.

Por isso, regule o número de cafezinhos e chás nos dias em que pretende estudar. Tente não ultrapassar as três doses diárias e evite bebê-las perto da hora de dormir.

10. Use mnemônicos

Como decorar algo em 5 minutos ou como memorizar rápido para prova? Utilize mnemônicos. Você pode não saber o que a palavra significa, mas com certeza você já utilizou muitos deles no quarto ano.

O mais famoso é “Minha Velha, Traga Meu Jantar: Sopa, Uva, Nozes e Pão”, mnemônico utilizado para decorar a ordem dos planetas do Sistema Solar: Mercúrio, Vênus, Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão.

Mnemônicos são auxiliares de memória. São, tipicamente, verbais, e utilizados para memorizar listas ou fórmulas. Geralmente baseiam-se em formas simples de memorizar maiores construções. É como você decorou a fórmula de Bhaskara no oitavo!

Na psicologia, acredita-se que a mente humana tem mais facilidade de memorizar dados quando estes são associados a informação pessoal, espacial ou de carácter relativamente importante, do que dados organizados de forma não sugestiva.

11. Estudo intercalado

Essa é uma boa técnica para quem está na fase do vestibular, do Enem ou dos concursos públicos. A rotação de temas e matérias traz melhores resultados, pois facilita a correlação entre eles.

Além disso, investigadores notaram que, quando estudantes do Ensino Médio, intercalavam estudos de diferentes assuntos, eles tinham melhores notas. Isso porque assim ficamos menos saturados e conseguimos estudar por mais tempo.

Portanto, na hora de fazer o tema de casa, não faça todos os trabalhos de uma matéria só de uma vez. Faça um exercício de cada e vá trocando. Isso estimulará seu cérebro a se adaptar a interdisciplinaridade, um dos métodos mais comuns de ensino nas universidades.

12. Explique para você mesmo

A autoexplicação é uma excelente forma de memorização. Durante o estudo de um conteúdo, é bom tentar explicá-lo a si mesmo, com suas próprias palavras. Explicar sem “decoreba” ajuda a fixar o assunto, em especial os mais abstratos.

Enquanto lê, você pode anotar dúvidas e perguntas e depois tentar responder a elas sozinho. Isso estimulará a sua memória.

13. Esqueça o estudo em grupo

É sempre melhor estudar sozinho. Concurso público ou vestibular, não interessa para qual prova, estudar em grupo não é ideal. Isso porque a tendência a dispersão é maior e cada um de nós tem um processo diferente de aprendizado.

Depois, já aprendemos em grupo na escola, na faculdade e nos cursos preparatórios. Por isso, é importante passar um tempo sozinho tentando assimilar aquilo que já discutiu com os colegas e professores anteriormente.

14. Aproveite os gabaritos comentados para estudar

Verificar os gabaritos comentados após a prática de exercícios é uma forma de ver onde você está cometendo erros. Entender onde falhamos é o primeiro passo para começar a acertar.

Além disso, os gabaritos comentados tornam as questões de matemática e física menos abstratas para nós. Isso faz com que se consiga visualizar o problema e a sua solução.

15. Ensine outras pessoas

ensine os outros

É preciso colocar em prática tudo o que aprender para assim conseguir memorizar melhor um conteúdo, então qual a melhor maneira de colocar em prática? Ensinando outras pessoas!

Quem ensina aprende mais. Muitas pessoas ainda sentem vergonha ou mesmo por egoísmo se recusam a ensinar os outros, essas pessoas não sabem o que estão perdendo. Além disso, quando você dá aulas, você tem de prepará-las primeiro. Isso estimula você a esquematizar e resumir os conteúdos de forma a facilitar seus entendimentos pelos outros.

Talvez você até descubra um dom que nem sabia que tinha!

16. Use o celular e o tablet a seu favor

Você não precisa se tornar um completo erudito quando vai estudar. Em vez de desligar todos os eletrônicos, que tal usá-los a seu favor? Pode baixar aplicativos, como o Duolingo, para praticar aquilo que visa aprender. Se estuda para o Enem, pode baixar este app. Ele oferece suporte para as disciplinas de Química, Matemática, Física, Biologia, História, Geografia, Português, Sociologia, Filosofia e Redação.

Também pode aproveitar o tablet e o celular para cronometrar o tempo ou calcular as pausas.

17. Não desista

É verdade que muitos tópicos podem parecer impossíveis, principalmente no começo. Mas não desista! A persistência é muito importante quando se quer aprender algo. No estudo de idiomas ou instrumentos musicais, por exemplo, a prática é vital. É impossível aprender a tocar violão da noite para o dia, nem os melhores guitarristas do mundo o fizeram.

Pratique diariamente. Evite os pensamentos negativos e mantenha-se otimista! Se não der certo, paciência e tente de novo.

18. Reaproveite momentos

Muitas vezes ficamos horas dentro do ônibus ou trancados no metrô. Nesses momentos, ficamos entediados e aborrecidos. Aproveite essas vagas para ler, fazer anotações e, até mesmo, praticar exercícios em aplicativos. Em vez de perder tempo com jogos fúteis de celular, busque jogos que treinam ou exercitam a memória.

A gente sempre pensa que não tem tempo para estudar, pois trabalha demais, faz academia, cuida da casa, dá atenção ao namorado e ainda por cima passeia o cachorro. O que a gente se esquece é que existem muitas maneiras de estudar. Você pode, por exemplo, passear seu bichinho ouvindo um audiolivro.

19. Use acrônimos

Acrônimos são palavras formadas das primeiras letras da lista ou série de palavras que você precisa se lembrar. Assim como mnemônicos, nos ajudam a memorizar coisas importantes.

Por exemplo, para memorizar os ramos do direito, onde a competência para legislar é privativa da união (art. 22 – CF), usa-se o termo CAPACETE DE PM. Onde: C – civil; A – agrario; P – penal; A – aeronautica; C – comercial; E – eleitoral; T – trabalho; P – processual; M – maritimo.

Fazer seus próprios acrônimos ou rimas pode parecer complicado. Mas assim, você estará se envolvendo ainda mais com seu material de estudo e estimulando sua criatividade, que facilitará sua memorização.

20. Goste do que você estuda

Quando escolher uma profissão, faculdade ou um concurso, opte por ramos e atividades que tem afinidade e gosta. Estar sempre cercado de estudo em áreas que você odeia é ruim e desistimulante. Por isso, pense bem antes de se inscrever no vestibular. Faça testes vocacionais ou mini cursos antes, para ver se realmente vai gostar daquilo que quer seguir estudando por mais tempo.

 

 

Crédito das imagens: Unsplash