Guia Prático

40 Dicas Sobre Como Conservar Alimentos Corretamente

conservar alimentos

Conservar alimentos não tem nenhum mistério. Veja abaixo como fazer com diferentes tipos de produtos

Quando a gente chega do supermercado, uma das últimas coisas que passa na nossa cabeça é a pergunta: como conservar alimentos corretamente? Verdade seja dita, muitas vezes a gente coloca tudo na geladeira, de qualquer jeito e até esquece o que comprou.

Quem nunca abriu um armário ou geladeira e não se deparou com algo mofado e podre que atire a primeira pedra. Mas, se formos colocar tudo na ponta do lápis, vamos ver que não conservar o que compramos de forma certa é perder dinheiro. Sem falar que você coloca sua família em risco, porque nem tudo que estraga muda de cor, de aparência ou de cheiro.

Por isso, neste artigo vamos ver tudo sobre como conservar alimentos, desde como mantê-los frescos até como fazer conservas de legumes para fazer uso por mais tempo. Se você quer tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto, continue lendo.

40 Truques para conservar alimentos e não por dinheiro fora

Vamos começar pelos alimentos frescos, depois aquilo que pode ser congelado e como congelar e, por último, a validade de algumas comidas que convém saber sempre.

1. Morangos com Açúcar

conservar morangos

Como conservar morangos frescos é sempre uma dúvida pontual. Essa fruta é sazonal, muito sensível e, em muitos Estados do Brasil, importada. Por causa disso, o morango deve sempre ir direto para a geladeira.

E, atenção! Se for consumi-lo nos próximos três dias após a compra, não deve lavá-los. Pode por em um local frio como estão, na embalagem. Caso queira que eles durem mais tempo, a dica é utilizar açúcar. Assim como o sal, o açúcar também é um conservante natural.

Para fazer seus morangos durarem mais tempo, primeiro separe os mofados e amassados. Corte todas as tampinhas com as folhas verdes, lave-os e deixe eles em uma peneira para escorrer bem toda a água. Pode também pô-los em cima de uma camada de papel toalha.

Quando os morangos estiverem limpos e secos, coloque-os em um pote de vidro com tampa. Polvilhe açúcar por cima, na seguinte proporção: para cada 500 gramas da fruta, meia colher de sopa. É bem pouco mesmo!

2. Alface crocante

conservar salada

As folhas verdes, em geral, são difíceis e chatas de conservar. O que acaba por resultar em dois cenários: você ter que ir a fruteira comprar aos poucos, todos os dias; ou você não comer nadinha de salada. Não precisa ser radical. Com essa dica, você vai comer alface fresquinha e crocante em todas as suas refeições!

Primeiro, lave muito bem as folhas. Use água corrente e vinagre, para matar as bactérias, principalmente se forem alimentos orgânicos. Depois, deixe as folhas em um escorredor. Se você tiver aqueles próprios de salada mesmo, os que giram, melhor, pois removem bem todo o excesso de umidade.

A centrífuga de salada é uma excelente ferramenta na hora de conservar alimentos. Se você não tiver uma, pode optar pelo escorredor de massa. Depois que escorrer toda água, você pega um prato fundo ou um pode de vidro fundo e forra-o bem com papel toalha. Não economize no papel! Coloque as folhas lá dentro. Se forem muitas folhas, intercale-as com mais papel toalha.

Como conservar espinafre? Da mesma forma! Entretanto lembre-se que o espinafre dura menos que a alface.

3. Conheça a sua geladeira

Um dos porquês as coisas estragam na geladeira mesmo é que não sabemos usá-la. O eletrodoméstico não tem o design que tem à toa. Ele é dividido de forma a ter temperaturas (e graus de umidade) diferentes para cada tipo de alimento.

Nas geladeiras tradicionais, a zona superior, aquela mais perto do congelador, é considerada a mais fria. Por isso, é indicada para iogurtes, queijo, natas, creme de leite, compotas e alimentos já cozidos. A parte do meio da sua geladeira é para conservar alimentos como carnes e peixes, fiambres, conservas abertas e produtos de pastelaria.

A divisão que antecede as gavetas é ideal para produtos que estão sendo descongelados. Mas, atenção, esses alimentos devem ficar sempre dentro de recipientes maiores, já que soltam líquidos, que podem conter micro-organismos. Nas gavetas, onde é menos frio e menos úmido, você deve pôr tudo que for verduras, legumes e frutas.

As portas são para produtos que não precisam de muita refrigeração e tem alto teor de conservantes, como refrigerantes, água e outras bebidas. O leite não deve nunca ficar na porta. Essa é a parte da geladeira que mais tem oscilações de temperatura, o que pode estragar facilmente o alimento.

4. Prevenindo fungos no queijo cottage

Ainda sobre conservar alimentos na geladeira, coloque o creme azedo, o queijo cottage e os demais produtos similares de cabeça para baixo. Dessa forma se cria um vácuo que impede a formação de bactérias e de fungos. Assim, nunca terá uma surpresa desagradável quando quiser consumi-los.

E lembre-se, uma geladeira lotada irá impedir que o ar gelado circule, levando a aquecer certos pontos e causar deterioração. Então, evite a lotação máxima.

5. Maionese com limão

Se a sua maionese chegou ao fim e ficou aquele pote meio vazio na geladeira, um bom jeito de acabar com ela de vez sem jogar fora é utilizar suco de limão. É simples, basta espremer meio limão dentro do pote, fechar bem e sacudir. O suco e a maionese se fundem em um delicioso molho de salada.

6. Dentes de alho já descascados

conservar alho

Descascar dente de alho é um saco e tem muita gente que gosta de já deixar vários dentes descascados de uma só vez. A desculpa da maioria é sempre a mesma: evitar ficar com as mãos fedendo ao alimento em um novo contato diário.

Porém, o alimento, mesmo na geladeira, murcha e estraga. Um bom jeito de manter seus dentes de alho descascados, limpos e em dia, é coloca-los em um frasco de vidro com óleo vegetal ou azeite de oliva. Além de evitar que eles ressequem, você ainda pode usar essa mistura como molho para saladas.

7. Nada no fogão

Para o bem da sua saúde, não deixe nenhum alimento ou condimento próximo do fogão. Toda vez que você utiliza o eletrodoméstico, você aquece o que estiver em volta. Os alimentos podem estragar e causar problemas sérios de saúde. Os condimentos não necessariamente estragam, mas perdem cor e sabor.

8. Queijo no leite

Se você esqueceu de colocar o queijo em um pote hermeticamente fechado na geladeira, não tem problema. No dia seguinte, quando o alimento estiver duro, coloque-o em um prato fundo com leite, leve à geladeira e tampe. No dia seguinte, seu queijo estará novamente macio.

E mais uma dica sobre conservar alimentos como o queijo: na hora de fatiá-lo, use uma faca suja de manteiga. Isso evitará que ele resseque novamente.

9. Café e ovos

Ao contrário do que se pensa, o café, depois de aberto, e os ovos devem sim ficar na geladeira. O café para conservar o sabor, deve ser gelado e ficar em embalagem selada.

Os ovos, principalmente orgânicos, precisam ser refrigerados para evitar a proliferação de qualquer tipo de bactérias. Ainda mais em zonas do país cujo clima é mais quente. Para que durem mais, coloque-os com a parte mais pontuda para baixo.

10. Maçãs solitárias

As maçãs são frutas que devem sempre ficar solitárias. É que elas emitem um gás chamado etileno, que é responsável por fazer com que outras frutas e vegetais amadureçam mais rapidamente e estraguem com mais facilidade.

Na geladeira, por exemplo, nada de deixar maçãs perto da alface ou dos morangos. Se colocar a fruta em uma fruteira, deixe-a sempre perto daquelas que demoram mais para amadurecer.

11. Batatas no escuro

Batatas devem ser guardadas em lugares escuros já que estão acostumadas, por ficarem embaixo da terra. Se deixar as batatas muito tempo em local arejado, elas começam a dar brotos. Não precisa jogar fora, aliás, pode replantar as batatas que derem brotos e, assim, terá sua própria horta de batata.

Outra dica boa é deixar as batatas junto das maçãs. O gás liberado pelas maçãs também impede que as batatas germinem.

12. Como conservar alimentos congelados

No congelador, é preciso ter alguns pontos em consideração. O primeiro é a temperatura do seu congelador, que não pode ser maior que -18ºC. Como a temperatura lá dentro é uniforme, a organização fica por sua conta. Contudo, você precisa sempre identificar aquilo que congela, com data, a fim de saber quanto tempo tem aquele alimento.

Quanto mais tempo um alimento permanece congelado, mais nutrientes ele perde. Alguns podem ainda perder sabor e textura. Tudo aquilo que for descongelado uma vez tem que ser imediatamente consumido e jamais deverá voltar a ser congelado novamente.

13. Cebola na meia

conservar cebola

A melhor forma de conservar as suas cebolas é, pasme, em meia-calça! Armazenar cebolas em meia-calça velha as mantêm frescas por até 8 meses. Para isso, dê um nó entre cada cebola para deixá-las separadas umas das outras.

Além de mantê-las frescas, evita aquele monte de casca de cebola espalhada pela sua cozinha.

14. Congele suas ervas frescas

Quem nunca foi na feira e se empolgou nas quantidades de cebolinho ou manjericão? Depois não usou nem a metade e jogou tudo fora. Para que esta cena não se repita, lave, seque e pique seu cebolinho, coloque-o dentro de uma garrafa de plástico tipo PET e congele. Assim fica fácil tirar só o que precisa usar, quando necessário.

Com as outras ervas, você pode fazer o seu Sazon caseiro. É simples, tudo o que precisa é um pouco de azeite e uma forma de gelo. Pique as ervas frescas e distribua pela forminha. Preencha os espaços com azeite de oliva.

As ervas vão se fundir ao óleo enquanto congelam, e as pedrinhas que vão se formar são bem úteis para cozinhar. Basta jogar uma na panela quente e pronto. Funciona melhor com alecrim, sálvia, tomilho e orégano. Endro, manjericão, e menta também devem ser usados frescos.

15. Tomate fora do saco

conservar tomate

Os tomates nunca devem permanecer em saco plástico. O etileno preso ali dentro vai ajudar a apodrecerem mais rápido. Os frutos que ainda não estão maduros devem ser deixados com a raiz de ponta cabeça, em uma sacola de papel ou caixa de papelão fino. Devem ficar, de preferência, em uma área gelada até ganharem cor vermelha.

Se o objetivo for amadurecer mais rápido, guarde-o com frutas. Os gases emitidos ajudarão a amadurecer os seus tomates. Já os maduros devem ser guardados em temperatura ambiente, longe da luz do sol, sobre papel, sem encostarem uns nos outros e com a raiz para cima.

16. Divida as Carnes

Para não ficar congelando e descongelando carnes, que pode ser extremamente prejudicial para a sua saúde, divida as carnes assim que chegar do supermercado ou açougue. Separar os pedaços grandes em porções individuais não só ajuda você a conservar alimentos da forma mais apropriada, como também facilita na hora do consumo.

É muito mais fácil descongelar sempre só aquilo que precisa, em vez de ter de fazer comida a mais.

17. Cabo da banana em plástico filme

A banana é uma fruta misteriosa. Ou está verde demais ou fica logo podre. Para evitar que ela amadureça além da conta ou rápido demais, um truque bacana é envolver os cabos das bananas com plástico filme. Parece coisa de vó? Pode ser, porém funciona, porque faz com que elas fiquem todas juntinhas e mantê-las no cacho ajuda a retardar o processo de apodrecimento.

18. Não amontoe frutas delicadas

Sabe aquelas berries? No Brasil, elas são conhecidas como frutas silvestres. Tratam-se dos mirtilos, framboesas, amoras, entre outras frutinhas pequenas e saborosas. Se costuma comprá-las e quer conservá-las por mais tempo, tem duas opções: pode congelar elas, o que as manterá boas por mais tempo, porém você tem perda de nutriente; ou pode colocá-las na geladeira e consumi-las em poucos dias.

O problema é que as pessoas não sabem guardar essas frutas corretamente. Em parte porque não são comuns no Brasil, em parte porque são mesmo difíceis de lidar. Quando amontoadas, uma fruta perto da outra faz com que o amadurecimento de todas ocorra mais rápido.

O ideal é colocar, sem lavar, na prateleira mais alta da geladeira, em potes que sejam mais alongados. Assim, elas ficam sempre lado a lado e não amontoadas.

19. Como armazenar leite materno

Muitas mães, principalmente as de primeira viagem, não sabem que o leite materno pode ser extraído e armazenado. Ou até sabem, contudo desconhecem a forma mais correta de conservar alimentos do gênero. É preciso ter em atenção que o leite materno é um alimento natural e sem conservantes, por isso, ele estraga rapidamente.

Vale lembrar que o leite extraído, em temperatura ambiente, entre 16 e 26 graus centígrados, dura apenas seis horas. Passado esse tempo, nessas condições, convém, descartá-lo. Armazenado em geladeira, até 4 graus centígrados, o leite materno pode alcançar cinco dias. Convém sempre experimentar antes de dar ao bebê, pois eles têm a flora estomacal mais sensível e um sistema imunitário muito mais deficiente que o de um adulto.

Congelado (sim, o leite materno pode ser congelado), a durabilidade deste alimento é de até seis meses.

20. Ao viajar, não se esqueça da dispensa

Muita gente, quando vai viajar, deixa a cozinha como está e vai embora. Na volta, já são tantos os micro-organismos presentes na cozinha que pode-se ver uma pequena floresta! Depois, por mais que você jogue fora e limpe, pode ter problemas com bolor por mais tempo. O bolor é uma coisa que se alastra, por isso é bom nem deixar ele se instalar.

Ao viajar, lembre-se de deixar sua cozinha vazia ou quase isso. Se sua viagem for por pouco tempo, preocupe-se mais com os alimentos frescos, que não devem ficar na geladeira, pois podem apodrecer e contaminar o resto. Quando a viagem for mais longa, não se esqueça de jogar fora ou dar os produtos de mercearia também. O bolor do pão e dos cereais fica no ar e pode ser aspirado, por isso, nada de desculpas antes de ir de férias.

21. Conservando a massa fresca

Curte uma macarronada e não abre mão da massa fresca? Fique atento a essa dica, pois a massa fresca tem validade curta. Para manter sua massa, sem ficar quebradiça, seca ou opaca, enrole-as em papel manteiga antes de levar a geladeira. Se for deixar a massa fresca em um varal, pendure um pano limpo de cozinha por cima, para que ela não seque logo e esfarele.

As massas mais longas devem ser agrupadas em ninhos pequenos, cobertos com bastante farinha de trigo, para que os ninhos não grudem uns nos outros. Não se esqueça de deixar a massa secar por pelo menos uma hora ou até que esteja firme como uma massa resfriada de pacote que compramos no supermercado, antes de levar à geladeira.

Para conservar bem qualquer massa fresca ou caseira, coloque seu alimento em sacos herméticos limpos, secos e bem fechados e guarde-os em ambiente refrigerado. Esse tipo de massa dura apenas três dias, mas se congelar, sua vida útil aumenta para três meses.

Agora se quer manter elas na despensa, deixe elas secarem por 24 horas, mas a umidade do ar pode atrapalhar a secagem, então sempre confira se a massa esta bem firme antes de empacotá-la.

22. É bolacha ou é biscoito?

Independente do nome que leva, bolachas e biscoitos são sempre um problema quando o assunto é conservar alimentos. Você nunca come o pacote todo, depois esquece de fechar bem e no dia seguinte fica tudo mole e com um gosto horrível. A solução é sempre jogar fora, certo? Errado!

Bolachas e biscoitos podem ser “ressucitados” ou reutilizados, mesmo depois de amolecer. Se você se esquecer de fechar um pacote ou não cuidar, não entre em pânico. Para que as bolachas voltem a ficar crocantes, coloque-as em um prato sem sobrepor e leve para micro-ondas por 30 segundos, deixe esfriar completamente.

Você verá que elas voltam a ficar como novas. Parece até mágica, mas não é. O que deixa bolachas e biscoitos moles é a umidade. Quando você coloca no micro-ondas, eles voltam a secar, por isso ficam bons de novo. Mas atenção, isso não vale para bolachas recheadas ou glaceadas. O recheio ou o glacê podem estragar e comprometer sua saúde.

Para evitar que seus biscoitos fiquem ruins, mantenha-os longe de qualquer luz, umidade e produtos de limpeza. Se já abriu o pacote, o ideal é transferir o que sobra para um pote de vidro seco e bem fechado. Se desejar coloque um pão francês dentro do recipiente para absorver a umidade.

Se, por algum motivo em especial, tiver muitas bolachas salgadas sobrando, triture no liquidificador e use para empanar frangos e outros alimentos. Se os biscoitos doces estão em excesso e não souber o que fazer com eles, pode criar sobremesas como tortas e pavês.

23. Iogurte caseiro

Muita gente tem iogurteira e faz os próprios iogurtes em casa. O iogurte natural caseiro é ótimo para a saúde. O que muita gente não sabe é que o iogurte feito em casa dura apenas sete dias, se bem armazenado. Confira no vídeo abaixo, como fazer e guardar seu iogurte de modo que não prejudique sua saúde.

24. Arroz em garrafa PET

Se você costuma comprar aquele sacão de arroz de 5 kg, você precisa ler esta dica. Depois de aberto, o saco de arroz não pode pegar umidade, se não ficará com várias pedras de arroz. Para evitar isso, você pode, com a ajuda de uma peneira, transferir o arroz restante para dentro de garrafas PET já higienizadas e secas. Isso evita a entrada de bichinhos e o apodrecimento do alimento.

O arroz na garrafa PET dura em média dois anos, mas bem feito pode durar até 10. Isso é mais que a validade conferida pelos fabricantes na embalagem original. O feijão, a lentilha e as massas industrializadas também podem passar pelo mesmo processo. O importante é não deixar esses alimentos dentro da embalagem original aberta, se você quiser conservar alimentos da forma certa.

25. Chás também estraga

A gente sempre acha que as coisas desidratadas duram mais. E não é uma mentira. Mas o chá é um alimento extremamente delicado. A luz, a humidade, o ar e o calor são todos inimigos do chá, levando à sua deterioração rápida. Por isso, não adianta nada enfeitar a sua cozinha com latas maravilhosas de chá se lá bate muito sol ou se você mora em uma região de maresia e umidade.

O chá requer, também, um tratamento especial. Ele não deve, por exemplo, ficar em sacos plásticos, recipientes de madeira ou vidros transparentes. A melhor forma de manter o chá fresco é em latas de aço inoxidável. Lembre-se que eles devem ficar longe de fontes de calor, como o micro-ondas, o fogão ou o as chaleiras elétricas.

26. Sobras da Páscoa

Chocolate é uma coisa que só sobra para armazenar uma vez por ano: na Páscoa. É a única época em que se tem chocolate o suficiente para não dar conta de comer. Brincadeiras à parte, saber armazenar o chocolate apropriadamente também é importante. Ainda mais aqueles ricos em gorduras hidrogenadas.

Ao contrario do que se pensa, não é boa ideia guardar o chocolate na geladeira. Quando fazemos isso, a manteiga de cacau se separa da massa, por conta da temperatura baixa, e sobe para a superfície do alimento, criando aquelas linhas brancas. Outra coisa relevante é que o chocolate absorve odores. Se deixar ele junto com alimentos como o alho, ele poderá ficar com sabor estranho.

O chocolate deve então ser armazenado num local seco, sem luz e a uma temperatura entre os 15ºC e os 18ºC. Pode embala-lo em papel alumínio antes de guardar, desde que anote a data de validade original, para não perder este controle.

27. Farinhas secas

As farinhas secas devem sempre, em qualquer ocasião, ficar em embalagens de papel ou linho. Muitas pessoas têm mania de transferi-las para potes plásticos ou de vidro. É um erro comum que pode levar a pouca durabilidade destes alimentos.

Para conservar alimentos como as farinhas secas, antes de guardar congele as farinhas por uma semana. Isso matará qualquer micro-organismo que venha acidentalmente com o alimento. Se quiser, pode deixar as suas farinhas no freezer por até um ano. Isso só será um problema se você usa com frequência, pois sempre terá de esperar pelo processo natural de descongelamento.

Depois, coloque as farinhas em uma despensa, longe do calor e da umidade. Pode deixa-las em caixas de papelão ou madeira.

28. Açúcar na geladeira? Nem pensar!

Colocar o açúcar na geladeira é de praxe para quem tem formiguinhas na cozinha. O problema é que o frio e a umidade da geladeira estragam o alimento. A melhor forma de guardar os açúcares longe das formigas e para não estragar é colocar em um local junto das farinhas, seco e arejado.

Para evitar insetos no açúcar, pode colocar dentro do pote ou saco uma colher de sopa de cravos-da-índia. Os cravos afastam as formigas e outros bichinhos oportunistas.

29. Cereal aberto

Quem mora sozinho e gosta de cereais sempre enfrenta o mesmo problema. A caixa dura tempo demais e o cereal acaba por murchar antes de chegar no fim. É um dilema que faz com que os solteiros optem por desistir dos cereais. Contudo, existem formas de conservar alimentos como esse sem drama e sem tomar medidas radicais.

A ciência já permitiu a descoberta e criação de produtos como a “tampa” para sacos plásticos, como o dos cereais, sucrilhos e salgadinhos em geral. Conservar alimentos assim sem perder a crocância fica mais fácil. Você pode também mudá-los de embalagem para um pote plástico seco e bem fechado.

Mas convenhamos, quem vai ficar transferindo cereal de embalagem? Se você está lendo isso, é porque nem cogita mais esta opção.

30. Pão de forma fresco

pão de forma

Antes de conservar o pão de forma para que ele dure mais tempo, convém ressaltar algumas coisas. O pão mais barato nem sempre é o melhor. Opte por pães de qualidade, quando o assunto for conservar alimentos assim. Um exemplar de panificação bem confecionado seguiu a receita certa, adicionou as doses adequadas de cada ingrediente e respeitou os tempos de fermentação.

Caso compre o pão ainda quente, nada de fecha-lo em uma sacola. O pão tem que esfriar completamente antes de ser guardado. Do contrário, a umidade irá murcha-lo e estimular a proliferação de bactérias. Comprar um pão de forma inteiro, não fatiado, é outra coisa que faz ele durar mais. As versões fatiadas ressecam mais rápido. E depois, você poderá cortar uma fatia maior, não é mesmo?

31. E os embutidos?

Comprou um salame italiano, copa ou um presunto ibérico? Não coloque estes alimentos na geladeira, ainda mais se estiverem em peça inteira. Os embutidos artesanais devem ficar em local arejado, em temperaturas entre 15 e 20 graus centígrados e sem encostar uns nos outros.

Para conservar alimentos assim por mais tempo, embale-os em papel manteiga.

32. Oleaginosas

Se não souber a procedência das oleaginosas ou colheu do seu próprio jardim, congele-as primeiro por dois dias. Isso matará os possíveis ovos de pragas e pestes, evitando uma maior infestação. Coloque as nozes, por exemplo, em um recipiente hermético e leve ao congelador. Deixe-as lá por 48 horas em uma temperatura de -18°C ou inferior.

Depois, descongele em temperatura ambiente, areje por algumas horas e coloque suas oleaginosas em um pote de vidro. Evite potes plásticos ou sacos. Eles não vedam bem e deixam passar umidade. Na geladeira, esses frutos secos duram de dois meses a um ano.

33. Ração animal

Conservar alimentos do seu melhor amigo corretamente também é importante. Quem tem cachorro costuma comprar sacos grandes de ração. Estes sacos, se não forem bem vedados após abertos, podem causar problemas.

Caso você compre pacotes que duram um mês, como os de até três quilos, não há muita preocupação além de manter o pacote bem fechado e longe da luz. Agora, se compra pacotes maiores, o ideal é transferir o conteúdo para embalagens herméticas menores.

O que estraga a ração é o contato constante com o oxigênio. Ao abrir e fechar o pacote muitas vezes por dia para servir seu animal de estimação, você contamina a comida dele. Por isso, dividir o conteúdo de uma embalagem grande logo que abre em outros potes menores ajuda a ração a ficar fresca por muito mais tempo.

E, para manter a ração melhor ainda, pode usar sacos tipo ziploc, que pode remover todo o ar e embalar o alimento a vácuo.

34. Mel quentinho

Um dos maiores erros na conservação de comida é por o mel direto na geladeira. O mel, quando fabricado pelas abelhas dentro da colmeia, costuma ficar em temperaturas acima dos 30 graus centígrados. Claro que, após tratado e pronto para ser comercializado, o mel continua em bom estado e em textura líquida, mesmo em temperaturas mais baixas.

Mas, mesmo assim, o alimento não deve ir para a geladeira. Isso porque abaixo dos 15 graus, o mel pode cristalizar ou açucarar. Quando isso acontece, o alimento fica com sabor e textura alterados. A vantagem deste alimento é que ele, sozinho, é um conservante. Por isso, você não precisa se esforçar muito para mantê-lo em bom estado.

A única dica importante lembrar aqui é: o frasco de boca larga não deve receber colher ou faca suja. Isso contamina o alimento e pode favorecer a proliferação de bactérias.

35. Marmita segura

conservar marmita

Não tem coisa pior que chegar a hora do almoço, abrir a marmita no trabalho e ver que a sua comida azedou. Acontece e acontece muito! Descuidar da marmita é perigoso para a sua saúde e pode garantir alguns dias de atestado indesejado. Os alimentos, depois de cozidos, também exigem formas de conservação pertinentes.

Para não ter problemas com o transporte da sua comida, em primeiro lugar, aposte em uma boa lancheira térmica. Manter a sua marmita na temperatura ideal pode salvar sua vida. Em segundo lugar, nunca misture saladas com comidas que precisam ser aquecidas no micro-ondas. Opte também por levar o molho da salada à parte, para que a salada não murche. Um truque legal para manter suas folhas crocantes é utilizar umas gotinhas de limão.

Sempre que puder, mantenha sua marmita na geladeira. Não chegue no trabalho e fique enrolando, quanto mais tempo você demorar, mais chances você dá às bactérias. E lembre-se, o ideal é que os alimentos da sua marmita tenham sido preparados no máximo até 24 horas antes do momento da refeição e estejam refrigerados.

36. Molho de tomate caseiro

Você sabia que pode pasteurizar seu molho de tomate em casa? Pois é, se você fez molho de tomate demais e não tem espaço para congelar, pode optar por esse processo. Com a pasteurização, você pode guardar seu molho em um armário, na dispensa e ele se manterá bom por meses.

Para fazer a pasteurização, você vai precisar de frascos de vidro com tampa de metal, uma panela com água e o molho de tomate. Primeiro ferva os frascos vazios e as tampas, para esterilizar. Feito isso, encha os potes um a um com o seu molho caseiro e tampe os frascos com as respectivas tampas. Então coloque os frascos cheios em pé na panela, com água até a metade deles. Ferva por cinco minutos.

Esse é o processo de pasteurização, que fará com que os potes criem vácuo, expelindo o oxigênio para fora e evitando a oxidação do seu molho.

37. Conservar sucos naturais vale a pena?

Todo mundo fala que suco de fruta natural tem que ser feito e consumido na hora. Do contrário, perde-se nutrientes, textura e sabor. Mas, fala sério, quem é que consegue fazer suco natural diariamente? Descascar as frutas, batê-las no liquidificador e depois ter que limpar tudo já dá um desânimo.

Quando você faz suco, faz logo um montão, para durar. Acontece que a fruta logo depois de aberta já começa a oxidar. Para fazer seus sucos durarem um pouco mais na geladeira (mantendo alguns nutrientes), temos umas dicas. Se for fazer limonada, por exemplo, esprema os limões. Não adicione a casca, nem bata-os em processadores. Aquela parte branca nas frutas cítricas, como a laranja e o limão, oxida a fruta mais rápido.

Para conservar outros sucos e batidas, coloque uma pitada de sal ou três gotas de limão.

38. Churrasco no ponto

A carne ficou pronta e os convidados não chegaram? Não se desespere na hora de conservar alimentos já cozidos, como a carne do churrasco. Existe um truque para manter a carne quentinha e suculenta. Coloque a carne pronta dentro daqueles sacos esterilizados para congelar, feche bem e leve a carne para uma caixa de isopor. Isso manterá a carne em perfeito estado sem que ela continue cozinhando.

39. Vinagre para tudo

Um dos melhores amigos para conservar alimentos é o vinagre. Esta substância torna os alimentos muito ácidos, impossibilitando a proliferação de bactérias. Por isso que os alimentos em conserva, como o picles e o ovo de codorna, duram mais.

40. Na dúvida, jogue fora!

Cheira mal, tem cor estranha, apareceu um líquido que não estava lá ou o gosto mudou? Jogue fora. Muitos alimentos podem, sim, estragar antes mesmo da data de validade vencer. Às vezes é por má conservação, outras por azar mesmo. Esta não é uma ciência exata e por isso somos dotados de cinco sentidos.

Se o alimento estiver com aspecto muito suspeito, nem se dê o trabalho de experimentá-lo. Quando planejar conservar alimentos, tenha em mente que algumas coisas não serão passíveis disso, por isso, não tente o impossível.

Conservar alimentos – Receitas de conservas

Conservar alimentos pode ser complicado, ainda mais com a falta de espaço. Comprou legumes, frutos e verduras demais na feira? A solução pode ser fazer uma conserva. As conservas trazem inúmeros benefícios para a saúde. Se feita em casa, ainda mais, pois será orgânica e natural, sem processos químicos.

Ao passar pelo processo de fermentação, esses alimentos tornam-se capazes de proporcionar o equilíbrio ideal para o sistema gastrointestinal. Além disso, esse processo faz com que os vegetais cultivem lactobacilos, que nascem naturalmente das enzimas essenciais. Os lactobacilos, ou as bactérias boas, combatem algumas doenças, coma a úlcera, a cistite, as cólicas, a colite ulcerativa e as alergias alimentares.

Somente quando feitos através do método caseiro é que as conservas podem ser fonte de fitonutrientes, vitaminas e de ácido láctico. A única ressalva em relação a esta forma de conservar alimentos é o calor. Se você mora em um Estado muito quente ou está em pleno verão, tenha atenção redobrada as suas conservas.

Depois, fazer conserva em casa pode ser divertido e uma excelente forma de entreter seus filhos. Gostou? Então veja abaixo as receitas que separamos para você!

1. Receita de tomate seco em conserva

Tomate seco em conserva é uma iguaria culinária. No supermercado é caro, mas fazer em casa não custa muito.

Ingredientes:

  • Dois quilos de tomates bem vermelhos;
  • Uma cabeça de alho amassada ou com dentes cortados em tiras;
  • Orégano, alecrim, manjericão e manjerona a gosto;
  • Seis colheres de sopa de azeite puro de oliva.

Modo de preparo:

Corte todos os tomates em 4 partes, tire as sementes e o miolo verde. Forre com bastante toalha de papel uma forma de alumínio e coloque os tomates com a casca para cima, deixando descansar durante a noite inteira em temperatura ambiente.

No dia seguinte, retire as toalhas de papel com os tomates da forma. Espalhe uma colher de sopa do azeite na forma e recoloque os tomates na mesma, como antes, porém agora com a casca para cima. Leve em forno baixo, 120º ou 150º, por pelo menos uma hora.

As cascas dos tomates irão ficar bem enrugadas, é normal. Retire do forno, tempere por cima com o alho amassado ou fatiado, sal a gosto e o orégano. O sal ajuda a desidratar mais rápido. Por último, regue com as cinco colheres de sopa de azeite restantes. Retorne a forma ao forno por mais duas horas.

Depois de pronto, é só colocar os tomates, cobertos de azeite, em um frasco de vidro hermeticamente fechado.

2. Conserva de cebola com mel

Esta conserva além de gostosa é excelente para a sua saúde. No Japão, cebola e mel em conserva é um remédio natural antigo utilizado na cura de vários males. Aliás, esta é uma ótima receita para diabéticos e pessoas que buscam perder peso.

Ingredientes:

  • Uma cebola;
  • Uma pitada de sal do Himalaia;
  • Um litro de vinagre (qualquer tipo serve);
  • Duas colheres de sopa de mel biológico.

Modo de preparo:

Descasque a cebola, corte ao meio e depois em fatias bem fininhas. Deixe-a em repouso, entre 20 minutos e 2 horas, para liberar as toxinas. Em um pote de vidro que vede bem, coloque as fatias de cebola, acrescente a pitada de sal e adicione uma a duas colheres rasas de sopa de mel puro.

Cubra a cebola com o vinagre, misture bem e tampe o pote de vidro. Guarde este pote na geladeira por cerca de cinco dias, depois estará pronto para o consumo. A cebola com mel em conserva dura na geladeira de uma semana há dez dias.

3. Conserva de cebola roxa

Há muitas formas de conservar alimentos. Com vinagre, água, açúcar e uma cebola, você não só conserva a cebola por mais tempo, como também faz um picles maravilhoso.

Ingredientes:

  • 200 mililitros de água;
  • 200 mililitros de vinagre;
  • 80 gramas de açúcar;
  • 20 gramas de sal;
  • Uma cebola roxa.

Modo de preparo:

Para preparar a conserva de cebola roxa, descasque a cebola, e corte ela dividida em quatro partes grandes. Na parte interior da cebola retire a película transparente. Essa etapa é fundamental, pois a película não é gostosa e sua textura atrapalha o sabor.

Em uma panela, aqueça a água, o vinagre, o açúcar e o sal até dissolver bem. Adicione essa calda sobre as cebolas imediatamente. Disponha as cebolas, com este liquido de conserva em um recipiente, e deixe esfriar em temperatura ambiente.

Por último tampe, e leve à geladeira por alguns dias. Depois é só comer. A conserva dura de uma semana a um mês, conforme for acondicionada.

3. Geleia de morango

Um bom jeito de conservar alimentos é fazer geleia. O açúcar é um conservante natural, portanto, transformar aquele exagero de frutas em geleias pode ser uma excelente ideia. Além das geleias durarem bastante tempo, elas podem ser incorporadas em outras receitas.

Ingredientes:

  • Um quilo de morangos frescos;
  • Um quilo de açúcar da sua preferência, pode ser o demerara se quiser;
  • Duas colheres de chá de suco de limão.

Modo de preparo:

Coloque os morangos na panela e deixe esquentar ao fogo até que comece a soltar líquidos. Então adicione as duas colheres do suco de limão, despeje o açúcar e deixe cozinhar por meia hora. Espere esfriar e coloque em pote de vidro esterilizado para conservar por mais tempo.

Se não gostar de morangos, pode fazer com qualquer outra fruta a mesma receita.

4. Conserva de ovo de codorna

Quem não ama ovo de codorna em conserva? Além de ser uma opção incrível de conservar alimentos, a conserva de ovo de codorna é um aperitivo que agrada todo mundo. Fica bem pura, em saladas, em pratos quentes, como entra e em inúmeras receitas. Confira abaixo uma receita especial para fazer seu próprio ovo de codorna em conserva em casa.

É muito simples e sai mais em conta que comprar o produto industrializado.

Ingredientes:

  • Uma caixa de ovos de codorna;
  • 40 mililitros de vinagre branco;
  • 40 mililitros de água;
  • Uma colher de chá de sal;
  • Uma colher de chá de pimenta calabresa seca;
  • Uma colher de chá de orégano seco;
  • Uma folha de louro seca;
  • Uma pitada de pimenta-do-reino branca;
  • Um vidro esterilizado grande com tampa de metal.

Modo de preparo:

Primeiramente, cozinhe os ovos até que estejam completamente cozidos. Isso pode levar aproximadamente seis a sete minutinhos. Depois, descasque cada um deles, com bastante atenção, e siga reservando em uma tigela.

Lave os ovinhos em água filtrada, para retirar qualquer resíduo que tenha ficado para trás. Seque-os com papel toalha. No vidro esterilizado, de sua escolha, despeje o vinagre até chegar à metade do vidro, e adicione a água completando a outra metade.

Acrescente todos os temperos e misture bem. Só então coloque os ovinhos. Tampe e deixe na geladeira até o momento de servir.

 

 

 

Fonte: G1Notícias ao Minuto, Consul, Santa Clara, Jornal da Cidade e UFRJ

Crédito das imagens: Unsplash e Freepik